Gestores “Baby Boomers”: uma geração que está se afogando em sua própria ignorância

Antes de efetivamente proclamar qualquer tipo de crítica, preciso que o leitor entenda o contexto do título desse artigo. No decorrer do texto vai ficar mais fácil entender o que estou falando. Porém, eu não sei se vocês já pararam para pensar a respeito, mas grandes mudanças tecnológicas e comportamentais aconteceram nos últimos 10 anos e em uma velocidade louca, com clientes e consumidores mais exigentes e empresas buscando atender essa nova demanda. O que conseguimos neste período é muitíssimo maior do que a humanidade foi capaz de produzir dos anos 60 até o início dos anos 2000. Essas mudanças foram capazes, inclusive, de criar uma nova geração de profissionais com sede de inovação e em busca de grandes desafios, rompendo com o ‘status quo’ e exigindo um novo modelo de gestão.

Você, com certeza, já deve ter ouvido falar alguma vez na vida em Baby Boomers, Geração X, Geração Y e Geração Z (ou millennials). Pra fazer uma breve explanação a respeito, vamos entender o que é cada uma delas resumidamente:

Baby Boomers são ogeracoess nascidos entre os anos de 1046 e 1964. O nome vem de uma referência ao boom de crianças nascidas no pós-gerra.

Geração X são os nascidos entre os anos 1960 e 1980.

Geração Y são os nascidos entre os anos de 1980 e 2000.

Geração Z são os nascidos entre 90 e 2010.

Entendido o que são as definições das gerações (na internet há sites com um conteúdo bastante robusto a respeito desses conceitos), vamos ao que o artigo se propõe a discutir, que é a questão da “gestão Baby Boomer” nas organizações.

Eu tenho uma opinião pessoal a respeito de característica dos baby boomers e honestamente não faz referencia a questão da idade, até porque ser mais velho não significa que você não está antenado com o mundo lá fora. Nessa mesma linha, há gestores mais novos com uma mentalidade altamente “baby boomer“. Existem características muito claras nesse tipo de profissional, como por exemplo:

  • Iniciaram a carreira usando máquina de escrever;
  • Passaram por momentos difíceis na economia mundial;
  • Valorizam o trabalho árduo com foco no resultado e apenas no resultado;
  • Não gostam de mudanças que os façam sair da zona de conforto.

Profissionais com este perfil têm entrado em atrito constante com as novas gerações em empresas espalhadas pelo mundo, não por uma questão de idade, mas por uma questão de mindset mesmo. Eles não procuram se adequar à realidade e as exigências do mercado porque cresceram com o desejo quase que incontrolável de ser chefe um dia. A questão do status dentro de uma hierarquia e uma cultura empresarial incongruente com a realidade mexe demais com a questão de egos. Esse é um ponto muitíssimo delicado de ser tratado dentro das empresas nos dias de hoje, mesmo com a forte tendência de gestão colaborativa presente na atualidade, onde o gestor passa a ser visto mais como um facilitador do trabalho da equipe do que como um delegador de tarefas.

Adquiri há um tempo atrás um livro chamado Promova-se, do Dan Schawbel, onde ele cita várias características dos Baby Boomers, tais como listadas abaixo:

  • Quanto a mudanças de Emprego: Acreditam que desvaloriza o profissional;
  • Quanto ao estilo de gestão: Comando e Controle;
  • Quanto a treinamento para seus colaboradores: acreditam que, se treiná-los, eles vão embora;
  • Tempo médio de permanência em cada emprego: 7 anos;
  • Sobre empoderamento do seu time: não aceitam opinião de seus subordinados, apenas de gestores superiores. A opinião deles é a que importa.

Essas atitudes chegam a beirar a arrogância em muitos casos, principalmente quando uma empresa não consegue reter seus talentos por culpa de gestores dessa qualidade. Também há vários artigos a respeito da crescente substituição desse tipo de profissional por outros com a mentalidade mais voltada ao coletivo, como uma tendência para os próximos 5 anos. Muitos especialistas entendem (e eu concordo com eles) que os resultados (tão buscados pelos gestores baby boomers) são consequência de um ambiente de trabalho produtivo e ao mesmo tempo agradável, onde os colaboradores são empoderados e têm suas sugestões e ideias compartilhadas e levadas em consideração.

Segundo alguns Psicólogos e especialistas na área de Recursos Humanos, a Geração X segue um caminho semelhante, porém mais maleável na questão das mudanças se comparada aos baby boomers. Já a Geração Y tem procurado se adequar a nova ordem empresarial, no entanto, com objetivos mais voltados ao empreendedorismo. A Geração Z é a que pode ser considerada revolucionária nesse sentido (porém deixa a desejar em outros). Uma matéria exibida essa semana no Jornal das 10 da GloboNews, mostrou que a geração Z tem buscado empreender mais do que qualquer outra, principalmente em negócios onde a interação com a tecnologia é mais forte. Eles entrevistaram vários empreendedores dentro desse perfil e todos foram unânimes em relação a decisão de empreender: não querem um chefe, querem eles ser os vetores da inovação em suas empresas.

A moral da história é que os pensamentos da velha administração, criada por Fayol e Taylor, estão perdendo espaço nas grandes corporações. Obviamente, como passamos mais de um século seguindo este modelo, não será da noite para o dia que isso mudará. Ainda existe e existirão, por um longo tempo, empresas recheadas de “gestores baby boomers” em sua alta administração, gozando de uma hierarquia engessada e capenga, onde só quem sai perdendo com essa guerra de poder são os clientes e consumidores.

Como eu sou um otimista, quero estar vivo e participar ativamente dessa grande revolução, onde não haverá mais amarras para as novas ideias, onde a opinião de um analista será tão bem-vinda quanto a opinião de um CEO e o único conceito da antiguidade que será aceito dentro das equipes é o de “um por todos e todos por um“.

 

Licença Creative Commons
O trabalho Gestores “Baby Boomers”: uma geração que está se afogando em sua própria ignorância de Wagner Augusto de A. Borba está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em https://escopodefinido.com/2017/01/07/gestores-baby-boomers-uma-geracao-que-esta-se-afogando-em-sua-propria-ignorancia/.
Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em http://escopodefinido.com.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: